Sábado, 10 de Outubro de 2009

Slackware -Current e o novo perl perl-5.10.1

Ao fazer um slackpkg -upgrade all, recebi uma nova versão do perl (perl-5.10.1). O problema é que esta nova versão do perl, faz com que os programas que precisam do perl para funcionar deixem de funcionar, como é o caso do Xchat e do IRSSI.

Após a actualização, do perl e ao correr o Xchat obti:

 

Can't locate File/Spec.pm in @INC (@INC contains: /usr/lib/perl5/5.10.0/i486-linux-thread-multi /usr/lib/perl5/5.10.0 /usr/lib/perl5/site_perl/5.10.0/i486-linux-thread-multi /usr/lib/perl5/site_perl/5.10.0
/usr/lib/perl5/site_perl /usr/lib/perl5/vendor_perl/5.10.0/i486-linux-thread-multi /usr/lib/perl5/vendor_perl/5.10.0 /usr/lib/perl5/vendor_perl .) at (eval 1) line 28.

 

Há 2 soluções, compilar de novo todos os programas que necessitem do perl:

 

# grep 5.10.0 /var/log/packages/* | cut -d: -f1 | sort | uniq

 

Recompilar todos os programas que resultarem dessa lista (obter source e compilar de novo).

 

Ou então instalar a antiga versão do perl:

 

#upgradepkg /var/log/packages/perl-5.10.1-i486-1%perl-5.10.0-i486-1.txz

 

Neste caso substitui a versão nova 5.10.1 pela antiga 5.10.0 (pode ser obtida num  mirror qualquer de slackware, versão 13.0, directório d).

 

 

 

 


publicado por brunomiguelqueiros às 22:50
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Quinta-feira, 25 de Dezembro de 2008

Oracle 10g no Slackware 12.2

Ao tentar instalar o Oracle no Slackware, verifiquei no site deles, que não possuem pacotes para Slackware, apenas para Debian e RedHat. Sendo assim, e com a ajuda do blog do Roger, lá consegui por o Oracle 10g a funcionar ainda melhor que a instalação do Roger, já que ele teve alguns erros e eu não .

 

 

Criar um utilizador Oracle e instalar os grupos de gestão (como root):

#groupadd dba
#groupadd oinstall
#adduser oracle #fazer com que o grupo inicial seja oinstall, e depois adicionar os seguintes grupos adicionais dba users
Fazer o download de: ship.db.lnx32.cpio ou ship.db.cpio

#wget http://download.oracle.com/otn/linux/oracle10g/ship.db.cpio.gz

 

Descompactar:

 

#gunzip ship.db.cpio.gz

 

#cpio -idmv < ship.db.cpio

 

Se tiver uma SWAP com menos de 1 GB:

 

#dd if=/dev/zero of=/directory/with/much/free/space/tempswap bs=1k count=1000000

 

#chmod 600 tempswap

 

#mke2fs tempswap

 

#mkswap tempswap

 

#swapon tempswap

 

Verificar os requisitos de memória do sistema:

 

#sysctl -a

 

Verificar se os valores são iguais ou maiores que estes:

 

Necessários Verificar com:
shmmax = 2147483648 cat /proc/sys/kernel/shmmax
shmmni = 4096

cat /proc/sys/kernel/shmmni

shmall = 2097152  cat /proc/sys/kernel/shmall

shmmin = 1
 ipcs -lm |grep "min seg size"

semmsl = 250
cat /proc/sys/kernel/sem | awk '{print $1}'
semmns = 32000

cat /proc/sys/kernel/sem | awk '{print $2}'


semopm = 100

 cat /proc/sys/kernel/sem | awk '{print $3}'

semmni = 128

 cat /proc/sys/kernel/sem | awk '{print $4}'


file-max = 65536
 cat /proc/sys/fs/file-max

ip_local_port_range = 1024 65000
 cat /proc/sys/net/ipv4/ip_local_port_range

 

 

Se for necessário, criar ou alterar o ficheiro /etc/sysctl.conf e colocar os valores correctos:

 

# Kernel Parameters for Oracle 10.1.0
kernel.shmmax = 2147483648
kernel.semopm = 100
kernel.sem = semmsl semmns semopm semmni
net.ipv4.ip_local_port_range = 32768 65000

 

Para aplicar estes parâmetros:

 

#sysctl -p

 

No meu caso deu erro no kernel.semopm, mas não é um erro crítico.

 

Depois, criar ou modificar o ~/.profile para que tenha o seguinte:

 

# user-specific settings


PATH=$PATH:$HOME/bin

 

# Oracle Environment


ORACLE_BASE=/opt/oracle; export ORACLE_BASE


ORACLE_HOME=/opt/oracle; export ORACLE_HOME


ORACLE_SID=ROQDB; export ORACLE_SID


ORACLE_TERM=xterm; export ORACLE_TERM


export TNS_ADMIN=$ORACLE_HOME/config


NLS_LANG=AMERICAN; export NLS_LANG


LD_LIBRARY_PATH=$ORACLE_HOME/lib:/lib:/usr/lib:/usr/openwin/lib


LD_LIBRARY_PATH=$LD_LIBRARY_PATH:/usr/td/lib:/usr/ucblib:/usr/local/lib


export LD_LIBRARY_PATH fi


if [ -z $CLASSPATH ]


then


CLASSPATH=$ORACLE_HOME/JRE:$ORACLE_HOME/jlib:$ORACLE_HOME/rdbms/jlib


CLASSPATH=$CLASSPATH:$ORACLE_HOME/network/jlib


export CLASSPATH


else


CLASSPATH=$CLASSPATH:$ORACLE_HOME/JRE:$ORACLE_HOME/jlib


CLASSPATH=$CLASSPATH:$ORACLE_HOME/rdbms/jlib:$ORACLE_HOME/network/jlib


export CLASSPATH


fi


ORAENV_ASK=NO

#set shell search paths


PATH=$PATH:$ORACLE_HOME/bin


Agora a parte da instalação (como root):

 

mkdir /opt/oracle


chown oracle /opt/oracle


chgrp oinstall /opt/oracle

 

Como user oracle:

 

cd Disk1


./runInstaller -ignoreSysPrereqs

 

As minhas escolhas

 

Destination;

 

Name: OraDB10g_home1, Path: /opt/oracle

 

Installation Type: Enterprise Edition

 

Escolher "General Purpose" starter database

 

Global database name: ROQDB.myhost

 

SID: ROQDB

 

Não criei schemas.

 

Depois disto, podemos testar a base de dados com:

 

#sqlplus /nolog

 

conn / as sysdba

 

startup

 

Para remover o Oracle, caso algo dê problemas:

rm -rf $ORACLE_HOME
rm -rf /etc/ora*
rm -rf /path/to/your/oraInventory


rm -f /usr/local/bin/coraenv
rm -f /usr/local/bin/oraenv
rm -f /usr/local/bin/dbhome

 

 

Depois para gerir as bases de dados, utilizei o SQLDeveloper disponível em http://www.oracle.com. Fiz o download do .RPM, converti para .tgz

 

#rmp2tgz sqldeveloper-1.5.57.83-1.noarch.rpm

 

Instalei como um .tgz normal

 

#installpkg  sqldeveloper-1.5.57.83-1.noarch.tgz

 

Para correr o SQLDeveloper é necessário a instalação do JDK.

 

#wget http://darkstar.ist.utl.pt/slackware/slackware-12.2/extra/jdk-6/jdk-6u11-i586-1.tgz

 

De seguida é só iniciar o SQLDeveloper:

 

#sqldeveloper

 

 

Assim que tiver algum tempo, irei ver se consigo instalar o TORA, que parece ser um programa mais parecido com o TOAD, que é o mais utilizado, a desvantagem é que não existe versão para Linux.

 

Links: http://www.roqet.org/oracle_on_slackware.html

 

http://under-linux.org/wiki/index.php/Tutoriais/BD/instalando-sgbd-oracle11g-ubuntu8

 

http://www.dicas-l.com.br/print/20080825.html

 

http://forums.oracle.com/forums/thread.jspa?threadID=266762


publicado por brunomiguelqueiros às 21:29
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sexta-feira, 19 de Dezembro de 2008

Huawei E180 no Slackware

 

Recentemente adquiri uma placa de internet móvel do Sapo. Neste momento as placas comercializadas são as Huawei E180, que como já é hábito, vêm com drivers para Windows e Mac. Por ser uma placa recente no mercado, as perspectivas de encontrar suporte para Gnu/Linux não eram boas.

No site do fabricante nenhuma referência ao Linux, e um pedido de informação sobre isso, resultou no seguinte:

 

"Your feedback subject: E180

Huawei reply: Dear Customer: Thanks for your attention to our product! We are sorry to tell you,E180 don't support Linux OS at present。We only have drivers for WIN/vista/2000/XP /MAC now .Kind regards."

 

Ao que respondi:

 

"Well i have it working now under Linux. So it would be nice in the future for you to provide drivers and sfotware for this operating system. Not everybody uses Windows our Mac."

 

Talvez este tipo de atitude, multiplicada por muitos mais utilizadores, começasse a ter algum efeito nos fabricantes de hardware.

 

Após uma pesquisa no Google, encontrei uma página que me ajudou bastante. O problema destas pens de internet móvell, é que são ao mesmo tempo modem's e unidades de cdrom, que contêm os drivers necessários para a instalação do modem. No Windows, ao inserir a placa esta inicia o modo CDROM e depois de instalado o modem, alterna o estado para Modem. No Linux esta alternância de estado, não é automática.

 

1º - Alternar modo da placa (USB_ModeSwitch)

 

Para contornar este problema, utilizei o programa USB_ModeSwitch. Para instalar, basta ir buscar a fonte, compilar e copiar o binário usb_modeswitch para /sbin e o ficheiro usb_modeswitch.conf para /etc.

Este programa lê as configurações do ficheiro usb_modeswitch.conf, onde se encontram as identificações (ID) dos Fabricantes e Vendedores. Estas informações encontram-se comentadas, pelo que é necessário abrir o ficheiro e descomentar a secção do fabricante da placa, e colocar os IDs certos para Fabricante e Vendedor. 

Para sabermos os IDs da nossa placa, basta um lsusb para nos mostrar a informação que precisamos:


#lsusb
Bus 002 Device 007: ID 0951:1603 Kingston Technology Data Traveler 1GB/2GB Pen Drive
Bus 002 Device 006: ID 12d1:1003 Huawei Technologies Co., Ltd. E220 HSDPA Modem / E270 HSDPA/HSUPA Modem

Neste caso, tenho na primeira linha a minha pen USB, e na 2a linha a pen da internet móvel, onde se pode ver o ID que precisamos ID 12d1:1003, o id do fabricante e o 12d1 e o do produto 1003.

 

Editamos o ficheiro usb_modeswitch.conf

 

#vi /etc/usb_modeswitch.conf

 

E na parte correspondente ao fabricante Huawei, descomentamos as linhas e alteramos os IDs caso seja necessário, como o meu ficheiro só trazia uma secção para o modelo E170, acrescentei uma secção nova e ficou assim:


########################################################
# Huawei E180
#
# Contributor: Bruno Queiros

DefaultVendor=  0x12d1;
DefaultProduct= 0x1003

# choose one of these:
;DetachStorageOnly=1
HuaweiMode=1

A parte importante é a descomentação da linha HuaweiMode=1 que transforma a pen num modem.

 

2º Criar a ligação /dev/ttyUSB0

 

Primeiro é necessário criar um script para o udev e gravá-lo como /sbin/usb_modeswitch.sh:

     #!/bin/sh  
     # close these FDs to detach from udev

    exec 1<&- 2<&- 5<&- 7<&-

    sh -c "sleep 4; /usr/bin/usb_modeswitch" &

    exit 0


Depois é necessário dizer ao processo udev para executar este script sempre que inserimos o modem, e depois disso carregar o módulo usb_serial:

 
 # vi /etc/udev/rules.d/66-huawei.rules


 SUBSYSTEM=="usb", SYSFS{idVendor}=="12d1", SYSFS{idProduct}=="1003", RUN+="/sbin/usb_modeswitch.sh"
 SUBSYSTEM=="usb", SYSFS{idVendor}=="12d1", SYSFS{idProduct}=="1003", RUN+="/sbin/modprobe usbserial vendor=0x12d1 product=0x1003"
 
O importante é acertar nos ID's do fabricante e do produto, e no comando do script e do modprobe.

 

Neste momento, devemos ter a ligação para /dev/ttyUSB0 criado.

 

 

3º Executar a marcação para o ISP

 

 

Finalmente é ncessário executar a ligação para o nosso ISP, neste caso o Sapo. Pode-se utilizar qualquer programa de marcação para isto, mas como eu gosto das coisas simples, eu escolhi o wvdial. Este programa lê as informações do ficheiro /etc/wvdial.conf e de seguida executa a marcação. O meu ficheiro contém 2 marcações, uma para a padrão e outra para o Sapo:

 

[Dialer sapo]
username = 123
baud = 115200
password = 123
stupid mode = on
dial command = ATDT
modem type = Analog Modem
phone = *99#
init5 = AT+CGDCONT=1,"IP","internet"
init3 = ATQ0V1E1S0=0&C1&D2+FCLASS=0
init2 = ATZ
modem = /dev/ttyUSB0
isdn = 0

Finalmente, para executar a marcação, executamos o comando:

 

#wvdial sapo

 

Se tudo correr bem, devemos ter um link ppp0 criado e podemos começar a navegar.


ppp0      Link encap:Point-to-Point Protocol
          inet addr:89.214.32.241  P-t-P:10.64.64.64  Mask:255.255.255.255
          UP POINTOPOINT RUNNING NOARP MULTICAST  MTU:1500  Metric:1
          RX packets:37320 errors:0 dropped:0 overruns:0 frame:0
          TX packets:35855 errors:0 dropped:0 overruns:0 carrier:0
          collisions:0 txqueuelen:3
          RX bytes:30571808 (29.1 MiB)  TX bytes:5150106 (4.9 MiB)

 

Para desligar basta Control+C na consola onde foi executado o comando.

 

Informação retirada de http://chankle.org/blog/index.php?/archives/24-Using-Huawei-E180-modem-in-linux-RHEL5.html.

 

 

Apesar disto ser o suficiente para utilizar a placa de internet, dá sempre jeito neste tipo de ligações que costumam ter pouco tráfego disponível, termos uma ferramenta para podermos visualizar o tráfego que estamos a consumir. Existem várias, mas escolhi uma simples e bastante funcional o pywvdial.

 

O pywvdial, permite marcar a ligação, e verificar o tráfego que se está a consumir, só é pena não ter um histórico, onde se pudesse verifcar o tráfego consumido no dia, na semana ou no mês.

 

O pywvdial, não é mais que um front-end para o wvdial, e lê o mesmo ficheiro de configuração, contudo necessita que tenhamos uma ligação com o nome Default, pelo que acrescentei a mesma ao ficheiro /etc/wvdial.conf

 

[Dialer Defaults]
baud = 115200
dial command = ATDT
username = 123
password = 123
stupid mode = on
ask password = off
phone = *99#
init5 = AT+CGDCONT=1,"IP","internet"
init3 = ATQ0V1E1S0=0&C1&D2+FCLASS=0
init2 = ATZ
login = 123
modem = /dev/ttyUSB0

Não é preciso ter 2 entradas iguais, basta terem uma com esse nome, importante também é que, esta ferramenta precisa ser executada com permissões de root, pelo que no KDE basta um ALT+F2, escrever o comando pywvdial, e clicar em opções, correr como outro utilizador - root.

 

 

Interface

 

 

Informação sobre o tráfego

 

 

De momento a aplicação está em inglês, mas assim que tiver algum tempo, vou tentar traduzi-la para Português, e também sugerir a inclusão da visualização de um histórico detalhado do tráfego.

 

Os únicos aspectos negativos, são o facto de não haver um software próprio para a gestão da ligação e do tráfego e o facto de a luz estar sempre ligada e não piscar.


publicado por brunomiguelqueiros às 22:52
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sábado, 13 de Dezembro de 2008

Slackware 12.2

 

Já saiu a nova versão da melhor distribuição de Gnu/Linux alguma vez criada, o Slackware Linux.

A nova versão não traz o KDE 4 (pelo simples facto de as próprias pessoas que o desenvolvem, dizerem que ainda não está o maduro suficiente), mas traz outras novidades:

 

  • Suporte total a kernel 2.6 (já bem "afinado" para se tirar o maior proveito dela);
  • Xfce 4.4.3 e KDE 3.5.10 ( a última versão do KDE 3);
  • Foi adicionado suporte ao HAL, o que permite que o administrador adicione os utilizadores aos grupos de cdrom e plugdev, para que desta forma a detecção e montagem de dispositivos USB, apareçam de forma automática, sem que seja preciso o sudo ou comandos de montar.

Existem muitas mais novidades, as quais podem ser lidas na totalidade no anúncio oficial.

 

Quem quiser fazer o download pode fazê-lo aqui.

 

Quem já tiver o Slackware 12.1 (tal como eu) e quiser fazer o upgrade para o 12.2, basta seguir estas instruções:

 

" Before you begin, I would strongly recommend making a backup of your
system, or, if not the entire system, at least the /etc directory.  You
might find that you need to refer to a few things after the upgrade
process is complete. Back it up, or take your chances.

OK, now that everything is safely backed up, let's proceed. :-)

To do this, you'll need the Slackware 12.2 packages.  If these are on a CD,
create a new directory to mount the CD on so that it doesn't get in the way
during the upgrade:

mkdir /packages
mount /dev/cdrom /packages

The packages don't have to be on a CD-ROM, as an alternative you could
copy the slackware directory (the one with the various package
subdirectories in it, basically the "slackware" directory from the install
CD) to someplace like /root/slackware/.  The important thing is that you
know where the slackware packages directory is.  We'll use /root/slackware
in the following examples.


0.  Put your machine in single-user mode:
    telinit 1

    Note that this is _not_ strictly required, and there have been reports
    of success remotely upgrading machines that are still in multiuser
    mode.  However, more things can do wrong in multiuser, so especially
    if you're considering a remote upgrade in multiuser mode, you might
    want to clone the machine locally so that you can do a test run to
    uncover any problem areas and come up with workarounds for them.


1.  Upgrade your glibc shared libraries.  This is important, or things
    might go haywire during the first part of the upgrade:

    upgradepkg /root/slackware/a/glibc-solibs-*.tgz


2.  Upgrade your package utilities:

    upgradepkg /root/slackware/a/pkgtools-*.tgz


3.  Upgrade everything else (and install new packages):

    upgradepkg --install-new /root/slackware/*/*.tgz

    If you wish to upgrade everything except for the KDEI language
    packs for KDE (these take a lot of space and can be dealt with
    after the main upgrade more quickly and easily), running this
    script in the "slackware" directory will do the trick:

    #!/bin/sh
    for dir in a ap d e f k kde l n t tcl x xap y ; do
      ( cd $dir ; upgradepkg --install-new *.tgz )
    done


4.  Make sure your system will boot.  First, be sure your initrd is up
    to date (if you use one).  If you use LILO, make sure the paths in
    /etc/lilo.conf point to a valid kernel and then type 'lilo' to
    reinstall LILO.  If you use a USB memory stick to boot, be sure to
    copy the new kernel to it in place of the old one.

5.  Remove obsolete packages.  The CHANGES_AND_HINTS.TXT file should have a
    list of these.  You may also wish to go into /var/log/packages and take
    a look at the package list:

    ls -lt | less

    You may spot some old, obsolete, or discontinued packages.  If so,
    you can remove these using 'removepkg'.


6.  Fix your config files.  Some of the config files in /etc are going to
    need your attention.  You'll find the new incoming config files on
    your system with the ".new" extension.  You may need to fill these in
    with information from your old config files and then move them over.

    Feel brave?  You can use this little script to install most of the
    .new config files in /etc.  If you've made any local changes you'll
    need to add them to the newly installed files.  Your old config files
    will be copied to *.bak.  Anyway, it might be an easier starting
    point.  Here it is:

     #!/bin/sh
     cd /etc
     find . -name "*.new" | while read configfile ; do
       if [ ! "$configfile" = "./rc.d/rc.inet1.conf.new" \
         -a ! "$configfile" = "./rc.d/rc.local.new" \
         -a ! "$configfile" = "./group.new" \
         -a ! "$configfile" = "./passwd.new" \
         -a ! "$configfile" = "./shadow.new" ]; then
         cp -a $(echo $configfile | rev | cut -f 2- -d . | rev) \
           $(echo $configfile | rev | cut -f 2- -d . | rev).bak 2> /dev/null
         mv $configfile $(echo $configfile | rev | cut -f 2- -d . | rev)
       fi
     done


7.  If you use a non-en_US language pack for KDE and you already have it
    installed, then you may upgrade it by moving into the slackware/kdei
    directory and using this command:

    upgradepkg --install-new k*<your KDE locale>*tgz

    To have upgradepkg cycle through all of the available packages, and
    see which ones need to be upgraded, use this in slakckare/kdei:

    upgradepkg *tgz

    If your language has been added to KDE since Slackware 12.1, you'll
    need to install it using installpkg, or upgradepkg --install-new.
  
    Typically you'll need to make sure that you have installed the
    slackware/kdei packages for kde, koffice, and k3b (if you use those).


8.  Return to multi-user mode:
    telinit 3


At this point you should be running Slackware 12.2.  :-)

I wish everyone good luck with this!

---
Patrick Volkerding "

 

 



UPGRADE.TXT

 


publicado por brunomiguelqueiros às 17:37
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 15 de Outubro de 2008

[Tutorial] Instalação placa Atheros AR242X no Gnu/Linux

   

 

Depois de ter sentido na pele o que é instalar esta placa no Gnu/Linux, e de ter visto a quantidade de pessoas com dificuldades a instalar a mesma, decidi fazer aqui um pequeno tutorial, sobre como instalar esta placa (e outras) no Gnu/Linux. Ao que parece existem não 3 soluções como tinha dito no post anterior, mas sim 4, sendo que  o Madwifi adicionou um driver novo para as placas novas tal como a minha as AR2425. Visto que a minha distribuição é o Slackware, vou deixar aqui as instruções para a minha distro, para as restantes o procedimento é igual.

 

  • Instalação do kernel 2.6.27 e utilização do driver nativo da Atheros
  1. Fazer o download da versão 2.6.27 no site aqui (www.kernel.org)
  2. Copiar o ficheiro para /usr/src: #cp linux-2.6.27.tar.bz2 /usr/src
  3. Descomprimir o ficheiro: #tar -zxvf linux-2.6.27.tar.bz2
  4. Configurar o kernel: #make menuconfig
  5. Escolher as seguintes opções:                                                                     Networking --->
    Wireless --->
    <*> Generic IEEE 802.11 Networking Stack (mac80211)
    Device Drivers --->
    [*] Network device support --->
    Wireless LAN --->
    [*] Wireless LAN (IEEE 802.11)
    <M> Atheros 5xxx wireless cards support
  6. Eu escolhi deixar como módulo pois é mais fácil e prático, fazer depois o carregamento do mesmo, para quem tem placas de norma N deve escolher o módulo ath9k
  7. Gravar, sair, e de seguida: #make; #make modules_install; #cp arch/i386/boot/bzImage /boot/vmlinuz-2.6.27; cp System.map /boot/System.map-2.6.27
  8. Editar o lilo ou grub, adicionar a entrada para este kernel e reiniciar
  9. Depois de reiniciar, verificar se aplaca está detectada fazendo: #iwconfig

Mais informação aqui: Gentoo Atheros 5xxx

 

  • Instalação utilizando Madwifi
  1. Verificar no kernel se as seguintes opções estão seleccionadas:                   Loadable module support                                                                               [*] Enable loadable module support                                                                  [*] Module unloading                                                                                      [*] Automatic kernel module loading                                                         Networking                                                                                                     Wireless                                                                                                           [*] Wireless extensions: enabled
  2. Caso não estejam, seleccionar e compilar o kernel de novo;
  3. De seguida instalar os drivers Madwifi, eu escolhi criar os meus pacotes utilizando para isso os slackbuilds disponíveis (1º madwifi-driver e depois madwifi-tools) em SlackBuilds.org
  4. Também é possível instalar utilizando a source ou através do apt-get, etc. Instruções como instalar através da source aqui.
  5. Após a instalação é preciso inserir o módulo: #modprobe ath_pci
  6. De seguida é só verificar se a placa está detectada com: #iwconfig

 

Esta versão do madwifi funciona para as placas AR242{3,4} com chipsets AR5006* e não para a mais recente AR2425 chipset AR5007, neste caso utilizar o driver Madwifi Hal como descrito aqui

 

  • Instalação utilizando Ndiswrapper
  1. Instalar ndiswrapper, eu mais uma vez utilizei os slackbuilds
  2. De seguida copiar para o nosso computador o driver do Windows da nossa placa, ir buscá-lo ao CD de instalação ou fazer o download aqui
  3. Instalar a placa: #ndiswrapper -i net5211.inf
  4. Carregar o módulo: #modprobe ndiswrapper
  5. Podemos verificar se a placa ficou instalada: #ndiswrapper -l
  6. De seguida verificar a mesma: #iwconfig
  7. Caso já tenhamos uma instalação prévia do Madwifi, convém por o módulo em blacklist: #echo “blacklist ath_pci” | sudo tee -a /etc/modprobe.d/blacklist

Instalação para Linux Mint e utilizando a source

 

Instalação para Ubuntu

 

Instalação para OpenSuse

 

Notas:

  • # indica os comandos que devem ser executados como root;
  • net5211.inf é o ficheiro inf que corresponde à minha placa;
  • os slackbuilds indicados são para o Slackware 12.1

    


publicado por brunomiguelqueiros às 15:29
link do post | comentar | favorito
|

Review Sony Vaio VGN-NR38M

 

Depois da saga de avarias com o meu anterior portátil HP Pavillion dv6131eu, chegou a altura de experimentar outra marca sem ser HP ou Acer (esta última é má demais para ser verdade).

Como não tenho grandes necessidades gráficas ou mesmo de processamento, a escolha caiu num mais que barato Sony Vaio VGN-NR38M, à venda na Radio Popular:

 

RAM 2 GB
Sistema Operativo Microsoft Windows Vista Premium Home Edition
Memoria Cache 1 MB
Processador Intel Pentium Dual-Core T2390 clocked at 1.86 GHz
Disco Rigido 250 GB
Placa Video Intel GMA X3100 chipset
Monitor 15.4" WXGA screen - X-Black
Resolução: 1366 x 768
Leitor Optico SuperMulti dual-layer DVD writer
USB 2 portas USB 2.0
Modem/Ethernet Modem 56K
Ethernet network interface
i-Link 1 Porta FireWire
WLAN WiFi 802.11 b/g
Bluetooth Não
Tamanho 314 x 360 x 269.1 mm
Peso 2.9 kg
Acessórios Incluidos Carregador, batteria e manual de utilizador

 

 

Instalação do Slackware Linux, correu sem problemas, onde a parte que necessitou de mais atenção, foi a do particionamento, visto que o portátil traz Windows Vista numa partição, outra partição é a de Recovery e ainda outra que não sei o que é, ou para quê.

A instalação correu bem, tendo detectado a grande maioria do hardware.

 

Gráfica: Apenas necessário editar o ficheiro xorg.conf e mudar de vesa para intel na secção "Graphics device section", e ainda adicionar a resolução de 1280x800. Mas se no framebuffer do lilo, escolhermos vga=773 (resolução 1024x768, o máximo que a placa é capaz de fazer), depois no X, somos agraciados com a mesma resolução, mas com a imagem transformada num quadrado, deixando uma grande parte do ecrã a preto e com uma barra cinzenta por baixo. Ou seja, para termos a gráfica a funcionar em condições, é preciso no lilo, escolher a opção vga=simple (levar com aquelas letras enormes ao arrancar e ainda perder os pinguins ) para podermos usufruir de uma resolução correcta de 1280x800. Contudo o DRI e aceleração 3D funcionam out of the box.

 

Rato: No mesmo ficheiro colocar IMPS2 em vez do PS2, para ter a roda do meio a funcionar.


Placa Wireless: Aqui é que o pinguim bateu as asas. A placa é detectada como uma Atheros AR242X 802.11abg, que não é detectada out of the box, como tinha acontecido com a minha antiga Broadcom. Depois de procurar pela internet, encontrei 3 soluções:

  • utilizar um kernel mais recente (2.6.27) que já possui suporte para as placas Atheros com o driver ath5k;
  • Utilizar drivers MadWifi;
  • Utilizar Ndiswrapper;

Visto que a minha placa é bastante recente, nem a solução do ath5k, ou do Madwifi resultou, pelo que neste momento a placa está a funcionar com o ndiswrapper e com os drivers do Windows, o que não foi fácil, já que a placa AR242X tem vários modelos, e cada modelo seu driver, através de pim-pão-pum (já que não há maneira de ver qual o chipset em concreto) decidi que a minha placa seria uma AR2425 que utiliza os drivers AR5007EG.

 

Portas USB, Leitor DVDs: tudo a funcionar out of the box.

 

Firewire, Modem e Bluetooth: ainda não experimentei.

 

Contras:

 

Cabo do carregador muito pequeno;

Carregador grande e pesado;

Muitos autocolantes no portátil;

Ecrã brilhante;

Placa intel incapaz de grandes resoluções no frame buffer do linux;

Não possui webcam;

CPU Dual Core em vez de um puro Core 2 Duo;

 

Prós:

 

Leve;

Bateria com boa capacidade;

Disco rígido de alta capacidade;

Firewire;

Mais do que suficiente para as minhas necessidades, trabalhar, programar, navegar internet.

 

De 0 a 5

 

sinto-me:

publicado por brunomiguelqueiros às 14:48
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 23 de Agosto de 2008

Novo logotipo

A melhor distribuição de Gnu/Linux do mundo teve o seu logotipo actualizado.

 

 

Não foram muito felizes, acho que ainda conseguiu ficar pior que o antigo.


publicado por brunomiguelqueiros às 00:52
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 1 seguidor

.pesquisar

 

.Outubro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Slackware -Current e o no...

. Oracle 10g no Slackware 1...

. Huawei E180 no Slackware

. Slackware 12.2

. [Tutorial] Instalação pla...

. Review Sony Vaio VGN-NR38...

. Novo logotipo

.arquivos

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds

.número visitas

.utilizadores ligados

Utilizadores ligados

.Geekness

71% Geek 71% Free Florida Personals

.GoogleTalk

.De onde eles são

IP Geotargeting